quarta-feira, 22 de outubro de 2008

O POETA É UM FOMENTADOR !


*
Poeta,
o mictório é o teu escritório.
Lendo livros, sentado na privada.
Já os folhetos da Bíblia
lhe servem como papéis higiênicos.

És um gari garimpando as latas-de-lixo.
Regenera pessoas, degenerando-as.
Famigerado.
Faminto.
Mendiga alimentos dentro desses
recipientes.

Isso é a poesia! Poeta!
Isso é a poesia! Poeta!

Fareja éter.
De óculos escuros em transe
transitando pelas ruas-sem-saída.
Saliva vida.

O poeta é análogo ao salva-vidas.

Num mar –
num manancial de palavras,
ele se afoga à procura
de pérolas dentro de conchas. Mesmo
que não haja pérola alguma sequer.

Isso é poesia! Isso é ser poeta!
Isso é poesia! Isso é ser poeta!

Briga. Bate. Apanha
dia-após-dia.
Dilata seus pulsos com
a lâmina amolada
sagrada do desejo.
Ingere o líquido amargo
viscoso dos amores
e paixões prevaricadas
que escorre diariamente
em seu corpo e gruda feito cola quente.

Em suma,
Bebe; fuma;
ama;
goza;
trama;
cria; transcria
e uivocifera sem cessar
pelas andaduras incautas de incertos destinos.

Isso é poeta! é ser poesia!







FELIPE REY










*

3 comentários:

rita disse...

sem comentário....minha expressão é a de boca aberta, espantada diante das palavras.
Beijos

Felipe Rey disse...

Thanks so much , Lady Rita !

Victor disse...

ótima poesia.
muito bom..
um abraço


www.myspace.com/spvic
www.spvic.com.br

 

Labels

Labels