segunda-feira, 4 de maio de 2009

CRIS-T@L

.





a Cris de Souza



1

copo
corpo
de cristal
cristalina
cristalinha

a
linha
vando
crista
liz
ando
na cris
ta
cris
pa
das ondas
dos teus
cabelos
quase
crespos
palavra
a
palavra
fria
fina
a
finando
aqui
des
aqui
etando
ali

aquecendo
aquiescendo
a
quintessencial
mente
cristalina
grã-fina
re
fina
cria
ação
combustão
combustível
pro
coração
da poesia

copo
corpo
de
cristal
copulando-me
formulando-me
amoresinfinitos
em quartzos
aquilatados
de monolitos

aFIM
as
sim

sub-
entende
-se que
quem
in
ven
ta
in
ver
ta
osim
aiais
demim
tal
cris
talina
rima
verso seu
COMEu
noME
noFIM.













FELIPE REY

2 comentários:

Clarissa disse...

adoro jogo de palavras! é um ótimo poema... muito divertido de ler

beijos!

brunobandido disse...

puta que
caralho

poema lindo, cara.

 

Labels

Labels