domingo, 19 de dezembro de 2010

Quero matar o meu amor

.
.



Quero matar o meu amor
Ela escárnio
Incompatibilidade
Epidemia e temor
Ela
Cárcere privado do meu corpo
Sexo do meu não-sexo
Ela
Quero matar o meu amor
Janela feita sob o molde do suicida
Ela
Guerra do asfalto contra o morro
Quero matar o meu amor
Teto branco da minha cabeça
Cortes e queimaduras de terceiro grau
Quero matá-la
Pensamentos torpes que surgem
Na hora do ranço
Na hora medida do rancor.





Felipe rey



2 comentários:

Monique disse...

todo o ranço aqui presente
espero que o amor apague.
te amo!
ps: desculpa falar isso aqui, mas eu te falei que hoje eu não ia saber dizer outra coisa, amor.

fabio o pit bull disse...

Ta louco cara... Mas o texto ta bom!

 

Labels

Labels