segunda-feira, 26 de novembro de 2012






XXII


tão polida
                                                          melindrosa
melindrada
seu salto agulha
quebra na estrada

não serve pra subir

quebrada

coitada

tão polida

tão pálida

meu crime

foi assaltar

teu sol

teu mar
teu dia
minha patroa
a poesia
não segrega
nenhuma pessoa 




F. Rey 


7 comentários:

Cristina Lebre disse...

Muito legal, criativo, poético, lírico, parabéns, Felipe Rey Rey!

Pablo Soares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pablo Soares disse...

Polidamente lindoo! ^^

Pablo Soares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pablo Soares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Olhar feminino disse...

Nunca podemos esquecer que uma mlher faz qualquer coisa usando salto alto.
E o poema está especial.
Os saltos poderiam quebrar sempre em horas oportunas...
Parabéns!
Eurídice

Evelize B. disse...

'não serve pra subir quebrada' perfeito isso!!! Parabéns Rey!

 

Labels

Labels