domingo, 4 de abril de 2010

Novo poema

do poetastro Felipe Rey
ao vivo
ou morto
nos charcos da Lapa

decantando
seus maiores excessos

incluindo
a inédita:

põe poesia no pão de cada dia

a venda
em Cd e Dvd

nos melhores camelôs do ramo
mais próximos de sua residência




*


2 comentários:

Geraldo Brito (Dado) disse...

"ao vivo, ao morto"... Muito bom!

Mah disse...

Os poemas dele são demais *----*

 

Labels

Labels