quarta-feira, 13 de abril de 2011

( teatro )

.


a noite cai como bólido em seu quarto
assuma o personagem
compre remédios
bebidas
preservativos
para entregar-se barato & rápido

não há como esquivar-se das esquinas
traga sua cama até o bar
não durma
apenas simule estar de olhos fechados
assim poderá esbarrar
naquela figura que está te manjando agora

hum gracinha
você não quer mais voltar?
deita no meu umbigo
come comigo
acredite – assuma
o personagem então logo –
não existe o jogo
deix’eu ser seu perigo.



Felipe


Rey

4 comentários:

Deza disse...

Surpreendente!

Barato e Rápido! (isso me soou estranho mas de certa forma é uma realidade, a qual nem sempre publicamos)

Originalidade como sempre nos dá!

Adriana disse...

ótima.....e realista as vezes o rémedio é mesmo levar a cama para o bar....e se permetir...

sem nocao disse...

adoreiii...muito boa a intensidade de seus versos.

Flávio Soares disse...

Li teus textos, são de qualidade!

 

Labels

Labels