sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Terapia idílica

.


p/Monique Rosa Brasil
 
nascemos índios
devemos andar paramentados com as cores das bandeiras da América
pelas escadas da Lapa
beber ayahuaska engarrafada
adquirida num depósito meio seita

alô telefonista
quero uma passagem sonora para Minas
ela precisa da minha água e do meu fogo
somos feitos de fumaça e paixão

hora da primeira comunhão
reintegra-se e não se desintegra
a hóstia sagrada
a pedra filosofal
a planta medicinal
a cura
das tuas ânsias

aqui tem todo o conforto da alma
que te espera
hair in the air
um jardim suspenso no céu.

 
- Felipe Rey

2 comentários:

sol disse...

Menino índio, protegido p Xangô e Yansã, com a pena européia n mãos e um turbilhão d idéias n mente. Esse é Felipe Rey (rei!). Poeta suburbano q nos traz a secura d palavras n mais úmido q possam ser. A liberdade permeia sua poesia,nos dando a sensação d frescor. d inovação. Viva o subúrbio q produziu tamanho talento!

Pam Morrison disse...

ai meu deus... (suspiros)"esse poema.."

 

Labels

Labels